CARACTERIZAÇÃO DA GLIPOPROTEÍNA DE SUPERFÍCIE (GP46) DO HTLV-1 EM INDIVÍDUOS ASSINTOMÁTICOS E COM HAM/TSP

Autor(es): Fernanda Khouri Barreto; Aline Cristina Andrade Mota Miranda; Viviana Nilla Olavarria; Bernardo Galvão Castro Filho; Luiz Carlos Júnior Alcântara

O HTLV-1 pertence à família retroviridae, e gênero deltaretrovírus, sendo transmitido por via sexual, parenteral e vertical. Atinge 2,5 milhões de pessoas no Brasil, onde a cidade de Salvador apresenta a população geral com maior prevalência da infecção pelo vírus do país. O HTLV-1 apresenta um envelope, além de um capsídeo icosaédrico, o que determina que este penetre na célula hospedeira por fusão, e a principal glicoproteína responsável pela fusão do HTLV-1 nas células alvo é denominada gp46. Sendo a HAM/TSP, a principal manifestação clínica associada à infecção pelo HTLV-1, atualmente, os indivíduos infectados podem ser classificados, em assintomáticos ou indivíduos, possíveis, prováveis, e definidos HAM/ TSP. No entanto, poucos são os marcadores virais ou mesmo associados ao hospedeiro, que sejam úteis na avaliação prognóstica da manifestação de doença, ou no entendimento da patogênese. Portanto, esse estudo tem como objetivo caracterizar a gp46 nos diferentes grupos sintomatológicos para contribuir com o melhor entendimento da patogênese da HAM/TSP. Para tanto, foram selecionados 10 indivíduos infectados, atendidos pelo CHTLV, sendo cinco deles assintomáticos e cinco deles HAM/TSP definidos. Cada amostra foi submetida à PCR para a região gênica codificante da gp46, e em seguida, os produtos da PCR foram submetidas à clonagem, tendo sido selecionados 20 clones para cada amostra, totalizando um número de 200 plasmídeos que foram sequenciados. A partir de resultados preliminares da análise de parte das sequências, através da submissão delas em ferramentas de edição como Genedoc e Bioedit, foi possível identificar que se trata de uma região muito rica em CG. Além disso, comparando-se as sequências geradas neste trabalho com sequências disponíveis no GenBank, foi possível identificar cepas circulantes diferentes no Brasil e na Argentina, por exemplo. Análises futuras e complementares se prestarão a caracterizar melhor os diferentes isolados, comparando com o status clínico.

Palavras-chave: mutações. gp46. HTLV-1. TSP/HAM.

voltar
Anais da MCC., Salvador, v.1, n.3, setembro. 2012, ISSN

Av. Dom João VI, 274 - Brotas - CEP: 40285-001
Salvador/Ba Tel: 2101-1900 Fax: 3356-1936
http://www.bahiana.edu.br