PERFIL DO TESTE ERGOMÉTRICO DE IDOSOS COMPARADO A NÃO IDOSOS EM ROTINA AMBULATORIAL

Autor(es): Camila Medrado Pereira Barbosa; Carolina Santana dos Reis Santos; Lucíola Maria Lopes Crisostomo

Introdução: O teste ergométrico (TE) mede o trabalho cardíaco máximo através do esforço e assim avalia sua resposta clínica,hemodinâmica,eletrocardiográfica e metabólica.Ele possui uma boa relação custo-riscobenefício, especialmente nos idosos e, apesar do crescimento desta população e sua alta demanda por serviços de saúde,o perfil do seu TE ainda é pouco conhecido.Objetivo:Avaliar o perfil do TE dos idosos comparandoos a não idosos,em rotina ambulatorial.Método:Estudo transversal.Foram analisados 304 testes realizados em uma instituição privada na cidade de Salvador-BA,em janeiro de 2008 a junho de 2009,sendo 152 TEs do grupo idoso(GI) e 152 do não idoso(GII) pareados quanto a sexo.Utilizou-se estatística descritiva,teste paramétricos e não paramétricos,p<0,05 foi estatisticamente significante.Resultados:GI:86 mulheres(57%) e 66 homens(43%),média de idade 70,4±4,1anos (65–85).141 indivíduos(93%) tinham os principais fatores de risco cardiovasculares.FCrepouso-73,9±12,7bpm (49-122) e FCmáxima-130±16,8bpm (77 – 174). PAS pré,PAS máxima,PAD pré e PAD máxima-131,3±17,2mmHg (105-220), 184,8±30,5mmHg (105-250), 80,8±11mmHg (60-190) e 81 ±8mmHg (60-115),respectivamente.Valor do DP-240077,9 ±5588,43.Duração e distância percorrida-6,1±2,1min e 0,26±0,13km, respectivamente.Conclusão alterada em 33%, inconclusiva em 3% e normal em 64%.GII: 86 mulheres(57%) e 66 homens(43%), média de idade 29,9±5,5anos (20–40).118 indivíduos (78%) possuíam os principais fatores de risco cardiovasculares.FC repouso-83±12,5bpm (54-117) e FC máxima -167,6±17,2bpm (94-204).PAS pré,PAS máxima,PAD pré e PAD máxima-121,3±13,8mmHg (95- 160), 171,5±29,9mmHg (110-260), 77,6±9,7mmHg (60-100), 79±8,8mmHg (60-100),respectivamente.Média do DP- 28946,4 ±6185,4.Duração e distância percorrida-8,4 ±2,2 min e 0,47 ±0,2km.Principais indicações para realização do TE: avaliação funcional(GI-58% vs GII-82%) e avaliação de pressão(GII-31% vs GII-8,6%). Protocolos mais aplicados:Ellestad(GI-51% vs GII-74%),Rampa(GI-36% vs GII-15%) e Bruce(GI-12% vs GII- 8%).Laudos normais do ECG de repouso,esforço e recuperação foram mais frequente em GII(75%,94%,93%, respectivamente) do que em GI(42%,69%,81%, respectivamente).Conclusão:Os idosos apresentaram mais fatores de risco,mais TEs alterados;duplo produto menor;percorreram menor distância e toleraram menos o esforço que os não idosos,diferenças estatisticamente significantes.O protocolo mais utilizado foi o de Ellestad seguido pelo de Rampa,em ambos os grupos.Não houve complicações,sugerindo que o teste é seguro para indivíduos com perfil semelhante ao estudado.

Palavras-chave: teste ergométrico. idosos. doença cardiovascular. rotina ambulatorial.

voltar
Anais da MCC., Salvador, v.1, n.3, setembro. 2012, ISSN

Av. Dom João VI, 274 - Brotas - CEP: 40285-001
Salvador/Ba Tel: 2101-1900 Fax: 3356-1936
http://www.bahiana.edu.br