AVALIAÇÃO DOS ACHADOS DO ELETROCARDIOGRAMA E ECODOPPLERCARDIOGRAMA DE IDOSOS ATENDIDOS AMBULATORIALMENTE

Autor(es): Lívia Cisneiros Goes; Kyra Nhayanna Coutinho Machado; Larissa Andrade da Costa; Camila Medrado Pereira Barbosa; Carolina Santana dos Reis Santos;Lucíola Maria Lopes Crisostomo

Introdução: Eletrocardiograma (ECG) e Ecodopplercardiograma (ED) têm papel fundamental na população idosa. Objetivos: Determinar a concordância entre os achados do ECG e ED em idosos; determinar sensibilidade, especificidade e valores preditivos do ECG, tendo como padrão o ED. Métodos: Estudo descritivo, constituído por idosos (65 anos) que realizaram ECG e ED numa instituição privada de Salvador-BA de Janeiro/2008 a Junho/2009. A amostra foi de 74 registros de ECGs que também tiveram EDs arquivados. O projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa em Seres Humanos. Resultados: Foram avaliados 74 ECGs e 74 EDs dos mesmos pacientes idosos, 53 (72%) de mulheres e 21 (28%) de homens. A idade média foi de 79,5±6,9 anos e 51,0 % tinham idade >80 anos. A conclusão diagnóstica foi alterada em 55 (74%) ECGs, normal em 13 (18%); nos EDs, alterada em 71 (96%) e normal em 3 (4%). Fibrilação atrial apareceu em 1 ECG (1,4%) e teve correspondente ao ED diâmetro de átrio esquerdo aumentado (p=0,268). Bloqueios de ramo apareceram em 24 (32,4%) ECGs, alteração da repolarização ventricular em 17 (23%), extrassístoles supraventriculares em 5 (6,8%), todos esses com correspondente diagnóstico de ED alterado. Zona inativa ocorreu em 4 ECGs (5,4%) e não em 65 (88%); ao ED, acinesia esteve presente em 8 (10,8%) e ausente em 66 (89%) (p=0,410). Sobrecarga de ventrículo esquerdo foi vista em 1 (1,4%) ECG e não em 68 (91,9%); ao ED, hipertrofia de VE foi vista em 10 (13,5%), p=0,021. Houve concordância entre os diagnósticos dos ECGs e dos ED em 79% dos idosos. O ED diagnosticou mais alterações que o ECG em 15% dos idosos, e menos em <2%. Sensibilidade do ECG=96%, especificidade=67%, valor preditivo positivo= 98%, valor preditivo negativo=17%. Conclusão: foi alta a concordância entre os diagnósticos ao ECG e ao ED; diagnóstico alterado foi o mais frequente no ECG e no ED; o ECG deixou de diagnosticar uma proporção maior de alterações comparada ao ED.

Palavras-chave: eletrocardiograma. ecodopplercardiograma. idosos.

voltar
Anais da MCC., Salvador, v.1, n.3, setembro. 2012, ISSN

Av. Dom João VI, 274 - Brotas - CEP: 40285-001
Salvador/Ba Tel: 2101-1900 Fax: 3356-1936
http://www.bahiana.edu.br