DOENÇAS MUSCULOESQUELÉTICAS EM PACIENTES OBESOS

Autor(es): Daniela Del Nero Coelho de Araújo; Ítala Mota Di Girolamo; Juliana Gomes Cavalcante de Medina; Laísa dos Santos Santana; Murillo Gehan de Carvalho Xavier

Introdução: A obesidade é um dos maiores problemas de saúde na sociedade atual. Segundo a OMS, é uma epidemia mundial, pois atinge diversas classes sociais. A associação entre obesidade e doenças musculoesqueléticas compõem o segundo montante de gastos totais nos serviços de saúde com pacientes obesos e suas comorbidades, superadas apenas pelas complicações cardiovasculares.Objetivo: Identificar a frequência de obesidade, presença de doenças osteomioarticulares e nível de atividade física em pacientes atendidos na Clínica Avançada de Fisioterapia em Salvador Bahia. Metodologia: O estudo investigativo foi do tipo transversal, realizado em 2010, na Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública na Clínica Avançada de Fisioterapia, através de aplicação de questionário IPAQ, versão curta e mensuração do IMC, de acordo com a III Diretriz Brasileira de Obesidade. Foi estimada frequência do perfil nutricional e avaliado entre os obesos a ocorrência de comorbidades de acordo com o nível de atividade física. Resultados: A amostra foi composta por 21 indivíduos, caracterizada pelo sexo feminino 19 (90,47%), raça parda (47,61%); casados 8 (38%), não fumantes 18 (85,71%); na faixa etária entre 50 – 65 anos (61,90%); que praticava atividades leves 10 (47,61%); aposentados 10 (47,62%); donas de casa 8 (38,09%). Observou-se que os indivíduos avaliados eram obesos 47,61 % (obeso I - 3 (14,28%); obeso II – 7 (33,33 %) e 11 (52,38%) apresentaram co-morbidades osteomioarticulares. Não foram encontrados indivíduos na classificação obeso III. Entre os obesos, 9 (90,00%) eram mulheres. As doenças osteomioarticulares nestes foram distribuídas em 4 (40,00%) de artrose, 2 (20,00 %) de hérnia de disco, sendo que, 4 (40,00%) não apresentaram nenhuma comorbidade. Não houve diferença na distribuição do nível de atividade física entre os obesos. Conclusão: Esse estudo mostra que a obesidade deve ser vista com maior atenção, especialmente entre profissionais que abordam o sistema músculoesquelético, devido à associação direta com estas complicações.

Palavras-chave: obesidade. atividade física. doenças musculoesqueléticas.

voltar
Anais da MCC., Salvador, v.1, n.3, setembro. 2012, ISSN

Av. Dom João VI, 274 - Brotas - CEP: 40285-001
Salvador/Ba Tel: 2101-1900 Fax: 3356-1936
http://www.bahiana.edu.br