AVALIAÇÃO DA RESISTÊNCIA AO CISALHAMENTO DA UNIÃO ENTRE RESINA À PORCELANA

Autor(es): FRANÇA, DCO.; BASTOS, LGC.; OLIVEIRA, VMB.

As coroas metalocerâmicas são largamente utilizadas devido a sua qualidade estética e resistência, entretanto fraturas podem ocorrer na cerâmica devido a fatores externos causando desconforto estético e funcional ao paciente. O projeto visa testar a resistência ao cisalhamento da união de uma resina composta à porcelana utilizada como material de recobrimento em coroas metalocerâmicas. Serão confeccionados 30 corpos de prova, divididos em 3 grupos, nos quais uma pastilha de porcelana (porcelana feldspática Noritake EX3) será unida a uma porção de resina composta(Restaurador Z100, 3M) através de três tipos de condicionamento da superfícis de porcelana: condicionamento com ácido fluorídrico a 10% (Dentsply, Brasil) por 60s; asperização com ponta diamantada (n. 4137, KG Sorensen, Brasil); e jateamento com Al2O3 (50µm – Cobra, 99,5% Al2O3 e máximo de 0,06% SiO2, Renfert GmbH, Alemanha). Após o tratamento de cada grupo, as superfícies de porcelana serão limpas com Tergentol (Inodon, RS) e receberão o agente de ligação silano (Ceramic Primer, Rely X, 3M) e um sistema adesivo (Scotchbond Multi-Purpose, 3M). Após a união, os corpos de prova serão envelhecidos por meio de armazenagem em água destilada a 37ºC, e em estufa, associada à ciclagem térmica previamente ao teste de cisalhamento em uma máquina de ensaios universal. Os valores de cisalhamento serão submetidos a um teste estatístico com a finalidade de se observar diferença entre os resultados. A microscopia eletrônica de varredura (MEV) será utilizada na observação das falhas.

Palavras-chave: odontologia. estética. biomecânica.

voltar
Anais da MCC., Salvador, v.1, n.3, setembro. 2012, ISSN

Av. Dom João VI, 274 - Brotas - CEP: 40285-001
Salvador/Ba Tel: 2101-1900 Fax: 3356-1936
http://www.bahiana.edu.br