PREVALÊNCIA DE ATIPIAS CITOLÓGICAS NA ADOLESCÊNCIA EM AMBULATÓRIO ESPECIALIZADO

Autor(es): Tatiana Teixeira Ferreira; Fernanda Maria Silva Leoni; Márcia Cunha Machado

Introdução: As adolescentes constituem uma população de alta vulnerabilidade para o câncer de colo uterino na medida em que o início da vida sexual as aproxima de problemas de saúde da esfera reprodutiva e sexual. Nessa época da vida, o padrão histofisiológico do colo do útero é um fator relevante associado à carcinogênese cervical, tornando as adolescentes mais suscetíveis a infecções genitais. Objetivos: avaliar a prevalência de atipias citológicas e infecções genitais em adolescentes. Metodologia: trata-se de estudo descritivo e transversal, cuja população é um grupo de adolescentes atendidas no Serviço de Ginecologia da Infância e Adolescência da Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública e a amostra composta por 38 pacientes, atendidas no período de dez/2009 a jun/2010, que realizaram o exame de Papanicolaou. Resultados: a média de idade das adolescentes foi de 16,9 e a faixa etária compreendida entre 12 e 19 anos. A média de idade da menarca foi de 11,72, e da coitarca de 15,42. Das pacientes avaliadas 26,3% referiram uso regular de condom, 15,8 % uso irregular e 13,2% negaram uso de condom. Com relação ao motivo da consulta, 2,6% das pacientes tinham queixa de condilomatose, 2,6% queixavam-se de dor pélvica, 5,3% apresentavam prurido vulvar, 21,1% leucorréia , 10,5% leucorréia e dor pélvica associada, e a maioria, 57,9%, vem ao ambulatório para uma consulta ginecológica de rotina, sem queixas. Entre os laudos microbiológicos das adolescentes analisadas, foi observado que a maioria 78,9% (30) apresentou flora de Lactobacilos, seguida por Gardnerella vaginalis com 15,7% (6) e Candida sp. com 5,3% (2). Com relação aos laudos citopatológicos, do total de adolescentes, 7,9% (3) apresentaram atipia de células escamosas de significado indeterminado (ASC-US), 2,6% (1) lesão intraepitelial de alto grau (LIE) e 89,5% (34) resultado negativo para malignidade. Conclusões: de acordo com a literatura e resultados encontrados no estudo, portanto, fica clara importância de inserção das adolescentes nos programas de detecção precoce do câncer de colo de útero e de haver um maior investimento na educação sexual nessa faixa etária com enfoque adequado e linguagem apropriada.

Palavras-chave: adolescentes. infecções genitais. atipias citológicas.

voltar
Anais da MCC., Salvador, v.1, n.3, setembro. 2012, ISSN

Av. Dom João VI, 274 - Brotas - CEP: 40285-001
Salvador/Ba Tel: 2101-1900 Fax: 3356-1936
http://www.bahiana.edu.br