A INFLUÊNCIA DO IMPACTO AMBIENTAL (DESMATAMENTO) NO HABITAT DA LUTZOMYIA LONGIPALPIS EM CAMAÇARI-BAHIA E A VARIAÇÃO DO NÚMERO DE CASOS HUMANOSDA LEISHMANIOSE VISCERAL

Autor(es): Camila Santana de Brito; Carine Souza Aguiar; Daiane Mendes Carvalho; Eliezer Santana Júnior; Gaya

A Leishmaniose Visceral (LV) é uma zoonose e um problema de saúde pública. No Brasil, foi considerada inicialmente de transmissão silvestre, com características de ambientes rurais, sendo uma endemia em franca expansão geográfica. A LV é causada pela Leishmania chagasi, transmitida pelo flebotomíneo, Lutzomyia longipalpis, sendo o cão considerado o principal reservatório doméstico. Modificações ambientais, como o desmatamento, aproximam a L. longipalpis do domicílio humano, em busca de alimento. A urbanização crescente e o esvaziamento das áreas rurais podem estar envolvidos no aumento da incidência de casos de leishmaniose na área urbana. O objetivo deste estudo foi de investigar a influência do desmatamento na expansão da L. longipalpis e da LV no município de Camaçari-BA; obter dados de moradores acerca da presença do vetor, comparando com seus aspectos fitogeográficos e investigar possíveis fatores ambientais e de comportamento humano como elementos predisponentes para a presença do vetor. A investigação desses fatores foi feita mediante um questionário e relato de moradores sobre casos de LV. O desmatamento na região estudada e a ação humana favoreceram o aumento do número de flebótomos, como também a presença de lixo na área peridomiciliar (60%) e de abrigo de animais (39%). A presença da L. longipalpis infectada com a Leishmania spp. pode ser deduzida pela incidência de casos em animais (37%) no período de 2005-2010. Não houve incidência nos últimos 10 anos de casos humanos dentro do grupo estudado, um resultado incompatível quando relacionado apenas com o aumento do número de flebótomos, causado pelo impacto no habitat do vetor, mas totalmente coerente quando relacionado com as medidas de proteção utilizadas pela maioria dos entrevistados (96%), pela coleta pública regular de lixo (92%) e também por ações do Centro de Controle de Zoonoses de Camaçari.

Palavras-chave: leishmaniose visceral. lutzomia longipalpis. desmatamento.

voltar
Anais da MCC., Salvador, v.1, n.3, setembro. 2012, ISSN

Av. Dom João VI, 274 - Brotas - CEP: 40285-001
Salvador/Ba Tel: 2101-1900 Fax: 3356-1936
http://www.bahiana.edu.br