RESISTÊNCIA BACTERIANA - VIGILÂNCIA PARA UMA AÇÃO PREVENTIVA

Autor(es): Clarissa Cerqueira Ramos; Suzana Ramos Ferrer

A resistência de cepas bacterianas a antimicrobianos é uma realidade que só será revertida caso sejam tomadas medidas de controle para serem implantadas e seguidas. As infecções microbianas associadas a cepas multirresistentes são causas de muitas mortes e representam um problema de saúde pública. Este trabalho faz parte de um estudo mais amplo, que visa isolar e identificar cepas bacterianas resistentes a antimicrobianos de indivíduos colonizados, tanto na comunidade quanto no ambiente hospitalar. Na realização deste trabalho, foram obtidas amostras bacterianas isoladas de pacientes hospitalizados de um hospital particular da cidade de Salvador. Essas amostras foram encaminhadas ao Laboratório de Microbiologia onde foram semeadas, incubadas e, em seguida, foram realizados testes específicos de identificação. Foram adquiridas 35 amostras, sendo 10 de escherichia coli, 11 pseudomonas aeruginosa, 05 klebsiella, 04 Staphylococcus aureus, 01 amostra de Shigella, 01 de Salmonella, 01 de streptococcus pyogenes, 01 citrobacter. Após identificação, as cepas bacterianas foram submetidas ao teste de sensibilidade aos antimicrobianos por método de difusão em disco. Foram obtidos resultados da análise do perfil de sensibilidade de cepas hospitalares de um hospital público da cidade. Foi possível observar que a maior frequência de resistência bacteriana ocorreu nas cepas de staphylococcus aureus, 51% delas apresentaram-se resistentes a todos os antibióticos testados. A idade dos pacientes variou de 15 a 69 anos de idade. As amostras resistentes foram isoladas predominantemente do sangue. Em seguida, staphylococcus coagulase negativa foi a cepas que apresentou 34% de resistência. Escherichia coli 25%, pseudomonas 18%, proteus mirabilis 5%. É importante observar que existe uma alta frequência de resistência bacteriana, tanto no ambiente hospitalar quanto na comunidade, como já apontam alguns estudos. O conhecimento acerca da dimensão desse problema ajudará na implementação de medidas de controle que minimizem a disseminação de microorganismos resistentes e suas consequências à saúde das pessoas.

Palavras-chave: resistência bacteriana. vigilância. hospitalares.

voltar
Anais da MCC., Salvador, v.1, n.3, setembro. 2012, ISSN

Av. Dom João VI, 274 - Brotas - CEP: 40285-001
Salvador/Ba Tel: 2101-1900 Fax: 3356-1936
http://www.bahiana.edu.br