ASPECTOS DETERMINANTES PARA REALIZAÇÃO DA MARCHA EM PACIENTES COM MIELOMENINGOCELE NÍVEL LOMBAR BAIXA

Autor(es): Gabriel Matheus Dutra Santos

Introdução: A mielomeningocele é o caso mais comum de espinha bífida, onde ocorre extravasamento de raízes nervosas e meninges o que acarreta alterações motoras, sensitivas e em alguns casos cognitivas. A realização da marcha destes pacientes depende de inúmeros fatores sendo estes primários a lesão ou secundários devido às adaptações ocorridas durante o desenvolvimento da criança. Este estudo objetivou discutir, na literatura, os aspectos neurológicos e ortopédicos que influenciam na marcha de pacientes com mielomeningocele do nível lombar baixa. Métodos: Trata-se de um estudo de revisão onde foram coletados artigos durante o período de setembro a novembro de 2010, nas bases indexadas, Pubmed, Scielo.br, Medline, Science Direct, Lilacs. Foram incluídos aqueles que estivessem em português, inglês e espanhol, com inclusão de 20 artigos e 3 excluídos por tratar apenas da análise de marcha. Resultados: Foram encontrados 20 artigos, onde se viu que fatores como, Espasticidade e/ou hipotonia, alteração nas reações de equilibrio, hidrocefalia, diminuição da força muscular, deformidades na coluna (principalmente escoliose e hiperlordose), e nos membros inferiores nas articulações do quadril e joelho e fraturas influenciam negativamente na marcha. Conclusão: Os fatores que interferem na marcha, são de extrema importância para que o fisioterapeuta as identifique e trace planos concretos e direcionados a cada paciente, visando uma melhor qualidade de vida e um desenvolvimento sem tantas conseqüências para o futuro da criança. Palavras-chave: mielomeningocoele; marcha; lombar baixa

Palavras-chave: mielomeningocoele; marcha; lombar baixa.

voltar
Anais da MCC., Salvador, v.1, n.3, setembro. 2012, ISSN

Av. Dom João VI, 274 - Brotas - CEP: 40285-001
Salvador/Ba Tel: 2101-1900 Fax: 3356-1936
http://www.bahiana.edu.br