AVALIAÇÃO DO NÍVEL DE ESTRESSE OCUPACIONAL DOS PROFISSIONAIS SOCORRISTAS DE UNIDADES MÓVEIS DE EMERGÊNCIA DA REGIÃO METROPOLITANA DE SALVADOR-BA.

Autor(es): Raíza Martina André Carneiro Martins; Tancredo Alcântara Ferreira Junior

INTRODUÇÃO: O estresse é resultado do desequilíbrio entre as necessidades do dia-a-dia e a capacidade individual de atendê-las. Pode ser causado por fatores externos (crescimento das cidades, competitividade do mercado) ou internos (predisposição genética, estado emocional). A síndrome geral de adaptação ao estresse é descrita em três fases (alerta, resistência e exaustão), às quais posteriormente foi acrescida uma quarta a fase, a de quase-exaustão. O estresse constitui um sério problema sócio-econômico e de saúde pública, pois atinge pessoas jovens, em idade produtiva e que geralmente ocupam cargos de responsabilidade. A pesquisa estará voltada ao reconhecimento do estresse ocupacional dentro de unidades móveis de emergência na região metropolitana de Salvador-BA. A importância de sua realização está na grande vulnerabilidade deste grupo populacional, constantemente exposto a fatores estressores. OBJETIVO: Avaliar se há presença de estresse na população de socorristas atuantes no Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) e no 12º Grupamento de Bombeiros Militares (SALVAR) da Região Metropolitana de Salvador-BA. METODOLOGIA: Estudo descritivo de prevalência, utilizando dois questionários para a identificação de fatores de risco e a avaliação dos níveis de estresse em profissionais adultos. A população a ser estudada é formada pelos profissionais atuantes nas Unidades Móveis de Emergência citadas. As respostas serão registradas na forma de banco de dados do SPSS for Windows para viabilizar o desenvolvimento de análises estatísticas descritivas não paramétricas. Será utilizado o teste do Chi-quadrado (x2) para avaliar a significância das diferenças de manifestação de sintomas (físicos e psicológicos) entre os níveis do estresse. RESULTADOS ESPERADOS: Espera-se verificar a presença de estresse na população de socorristas estudada, devido à elevada carga de fatores estressores a que são submetidos. A obtenção de uma relação entre estes fatores, o perfil do sujeito estudado e a ocorrência do estresse, possibilitará a proposta de acompanhamento psicológico aos interessados.

Palavras-chave: estresse; ocupacional; socorristas; emergência.

voltar
Anais da MCC., Salvador, v.1, n.3, setembro. 2012, ISSN

Av. Dom João VI, 274 - Brotas - CEP: 40285-001
Salvador/Ba Tel: 2101-1900 Fax: 3356-1936
http://www.bahiana.edu.br