FATORES PREDITIVOS DE QUEDAS EM PACIENTES COM DIAGNÓSTICO DE AVE

Autor(es): Jacqueline Pimenta Machado Orge

Introdução: O Acidente Vascular Encefálico (AVE) é uma das doenças que mais matam no mundo, e tem afetado cada vez mais pacientes jovens. Sobreviventes de AVE são de alto risco para o desenvolvimento de uma série de complicações, destacamos as quedas como principal incapacitante pós AVE Objetivo: Identificar os fatores preditivos de quedas em pacientes que sofreram AVE. Métodos: Trata-se de um estudo de corte transversal descritivo em pacientes atendidos no Ambulatório Professor Francisco Magalhães Neto. Para a coleta de dados, utilizou-se uma ficha contendo informações acerca da doença, sequelas e incapacidades físicas e funcionais, e foi aplicado o Índice de Barthel e o teste do Timed Up Go (TUG), além de dado uma agenda para marcar dia, horário e local de queda. Resultados: Dos 116 pacientes, 41% apresentaram quedas. Foram variáveis associadas ao histórico de quedas: tempo no TUG, gênero feminino, lesão no hemisfério direito. Apenas lesão no hemisfério direito obteve um preditor significativo Conclusão: Concluímos que este estudo demonstra uma frequência elevada de quedas em pacientes pós AVE. Sendo observados os possíveis fatores que contribuem para o mesmo, melhorando a qualidade de vida desses indivíduos assim como gerando menos custo.

Palavras-chave: AVE, Falling, Stroke, acidente cérebro vascular, Risk factors

voltar
Anais da MCC., Salvador, v.1, n.3, setembro. 2012, ISSN

Av. Dom João VI, 274 - Brotas - CEP: 40285-001
Salvador/Ba Tel: 2101-1900 Fax: 3356-1936
http://www.bahiana.edu.br