ANÁLISE DO CRESCIMENTO DE CRIANÇAS COM HIPOTIREOIDISMO CONGÊNITO ACOMPANHADAS PELO SRTN-BA

Autor(es): Nayara Soares de Oliveira Lacerda; Ney Cristian Boa Sorte; Tatiana Regia Suzana Amorim Boa Sorte

Introdução: O hipotireoidismo congênito (HC) quando diagnosticado precocemente e tratado garante aos pacientes desenvolvimento neurológico e crescimento adequados. Objetivos: Analisar a evolução do crescimento (altura, peso e perímetro cefálico) de crianças com HC que foram diagnosticadas e acompanhadas pelo Serviço de Referência em Triagem Neonatal (SRTN) da Bahia-APAE. Metodologia: Estudo retrospectivo e longitudinal, incluindo 225 crianças com HC nascidas entre 2002 e 2006. Foram excluídas crianças com síndromes genéticas e patologias que interferem no crescimento. Medidas do 1º ano (12±3meses) ao 7º ano (84±3meses) foram obtidas. Os indicadores Altura/Idade(A/I), Peso/Altura(P/A), Perímetro Cefálico/Idade(PC/I) foram calculados conforme valores padronizados pela OMS(2007). Baixa estatura (BE) grave e BE foram os desfechos principais. A regressão linear foi usada para comparar a evolução da A/I entre os anos avaliados. Resultados: Foram avaliadas 222, 206, 183, 135, 64, 33 e 18 pacientes, respectivamente entre o 1º e o 7º ano de vida. Foi identificada BE em 7,7% e BE grave em 4,5% das crianças aos 11,6(DP1,5) meses. Esses valores caíram para 6,3% e 1,9% aos 23,8(DP1,5) meses, enquanto aos 47,8(DP1,7) meses somente existiam crianças com BE (6,7%). No final do 5º ano de vida, 4,7% (3/64) dos pacientes tinham A/I compatível com BE, mas aos 72,3(DP1,82) meses 3/33(9,1%) das crianças tinha BE, nenhuma delas grave. O escore-z médio(DP) do indicador A/I aumentou de -0,48(DP1,42) para 0,10(0,97) em 7 anos. Para a presença de DEP os valores foram de 1,8% no 1º ano e 1,5% no 2º ano e 0,5% aos 35,7(DP1,5) meses. O escore-z médio(DP) do indicador PC/I foi de 0,27(DP1,33); 0,41(DP1,11) e 0,02 (DP1,14), respectivamente, no 1º, 2º e 3º anos. Considerações finais: Constatou-se que as crianças apresentaram, em média, uma boa adequação da altura com o passar dos anos e que já na idade pré-escolar não foram identificadas crianças com baixa estatura grave.

Palavras-chave: Triagem Neonatal, Hipotireoidismo Congênito, Crescimento.

voltar
Anais da MCC., Salvador, v.1, n.3, setembro. 2012, ISSN

Av. Dom João VI, 274 - Brotas - CEP: 40285-001
Salvador/Ba Tel: 2101-1900 Fax: 3356-1936
http://www.bahiana.edu.br