AVALIAÇÃO DA ASSOCIAÇÃO ENTRE HIPERTROFIA VENTRICULAR COM PERCENTUAL DE GORDURA CORPÓREA DETERMINADA PELO EXAME DE BIOIMPEDANCIOMETRIA SEGMENTAR

Autor(es): Ana Marice Teixeira Ladeia; Maria de Lourdes Lima De Souza e Silva; Paulo Roberto Meira Góes; Armênio Guimarães; Izabela Ferraz; Manuela Lima

Introdução: O excesso de gordura corporal está associado a uma maior demanda metabólica com conseqüente aumento do trabalho cardíaco, solicitando um maior trabalho do miocárdio. Objetivo: Avaliar a associação entre hipertrofia de ventrículo esquerdo (HVE) com o percentual de gordura corporal total e massa magra. Metodologia: Estudo transversal, descritivo e analítico que estudou 65 mulheres acima de 18 anos com excesso de peso (IMC= 25kg/m²) acompanhadas no ambulatório de obesidade do ADAB. Foi realizada avaliação clínica completa com exames laboratorias de perfil lipídico e glicêmico. Pacientes foram submetidas a avaliação ecocardiográfica, pelo mesmo profissional, com o aparelho VIVID-3 da GE (com HVE definida pelos critérios da relação da espessura da parede do VE e o IMVE especifico para o sexo feminino) e exame da bioimpedanciometria, pela balança INBODY 520. Resultados: Com idade média de 45±12 anos, 80% das pacientes eram obesas(IMC=30kg/m²), 85,7% hipertensas, 26,2% diabéticas e todas com circunferência abdominal aumentada. 26% tinham HVE(sendo 12,2% com hipertrofia excêntrica e 34,7% com hipertrofia concêntrica). Quando comparados os grupos com e sem HVE pacientes com HVE apresentaram maior IMC(39,2±11vs34,3±5,8p=0,03), circunferência abdominal(115,8±17,8vs104,6±12,3p=0,009), massa de gordura corporal(46,5±20,2vs35,2±12,9p=0,01) e massa de músculo esquelético(29,4±5,7vs25,2±4,4p=0,004) que os pacientes sem HVE. Foi observada correlação entre o índice de massa do VE (IMVE) com percentual de músculo esquelético(r=o,39p=0,002). Pacientes com HVE excêntrica apresentaram maiores valores de massa de gordura corporal (73,3±22vs41,1±16,4p=0,02), de percentual de gordura corporal (54±4,9vs42,7±11,9p=0,04) e IMC (47,1±14,8vs34,8±5,9p=0,02). Conclusão: Pacientes com HVE apresentaram massa magra e percentual de gordura corporal maiores que pacientes sem HVE, sendo que no grupo com hipertrofia pacientes com HVE excêntrica apresentaram maior percentual de gordura corporal. Observou-se ainda correlação entre o IMVE com o percentual de músculo esquelético. Esses dados sugerem associação entre a HVE com as sobrecargas impostas ao coração, independentemente do percentual de gordura em relação ao peso total.

Palavras-chave: Bioimpedanciometria Ecocardiograma Obesidade

voltar
Anais da MCC., Salvador, v.1, n.3, setembro. 2012, ISSN

Av. Dom João VI, 274 - Brotas - CEP: 40285-001
Salvador/Ba Tel: 2101-1900 Fax: 3356-1936
http://www.bahiana.edu.br