AVALIAÇÃO DA FIXAÇÃO EM IMPLANTES DE HEXÁGONO INTERNO E CONE MORSE.

Autor(es): Carolina Souza Almeida; Blanca Liliana Torres Leon

Para evitar perda da pré-carga e reduzir o afrouxamento do parafuso o profissional deve aplicar um torque adequado, sendo a quantidade de torque realizada de acordo com o tipo de pilar, diâmetro do parafuso e o sistema utilizado. Desta maneira, a proposta dessa pesquisa será avaliar e comparar a tensão de torque produzida por um torquimetro manual e um torquimetro elétrico nos implantes de Hexágono Interno e Cone Morse. Vinte corpos de prova serão divididos em quatro grupos: Grupo A - implante de hexágono interno e torquimetro manual, Grupo B - implante de hexágono interno e torquimetro elétrico Grupo C - implante cone Morse e torquimetro manual e Grupo D - implante cone Morse e torquimetro elétrico. Para a confecção dos CPs, será utilizado um dispositivo metálico para a inclusão do implante verticalmente a uma base de resina acrílica incolor. Os abutments serão fixados a um análogo para realização de enceramento de uma coroa total, haverá um orifício de acesso na parte coronária, com o objetivo de liberar a passagem dos parafusos de fixação e realização dos testes de torque e destorque. Os torquímetros serão posicionados de forma que a chave colocada na ponta do mesmo fique totalmente paralela ao eixo longo do implante. Para cada teste de torque, será medida quantidade de torque necessária para afrouxar o parafuso (destorque). Esta leitura será obtida com um medidor analógico de torque (TOHNICHI BTG60CN / JAPAN). Os resultados serão submetidos a analise de variância e as medias comparadas pelo teste de Tukey em 5% de significância.

Palavras-chave: Hexágono interno, Cone Morse, Torque

voltar
Anais da MCC., Salvador, v.1, n.3, setembro. 2012, ISSN

Av. Dom João VI, 274 - Brotas - CEP: 40285-001
Salvador/Ba Tel: 2101-1900 Fax: 3356-1936
http://www.bahiana.edu.br