ANÁLISE HISTOLÓGICA DO ENXERTO ÓSSEO ALÓGENO EM HUMANOS

Autor(es): Deivison Borges Costa; Leonardo de Araujo Melo

Avaliação da quantidade e qualidade do osso é a chave do sucesso para o correto posicionamento na instalação de implantes dentários. A estabilidade do implante é frequentemente desafiadora principalmente na região posterior da maxila devido a baixa densidade e quantidade óssea nesta região em função da pneumatização do seio maxilar e reabsorção óssea alveolar em consequência da perda dentária. Vários tipos de enxertos ósseos são utilizados para viabilizar a instalação de implantes dentários em diversas áreas da maxila e mandíbula. Há muitas discussões e controvérsias a respeito da utilização de materiais para enxerto e reconstrução óssea, podendo ser usados tanto o osso autógeno quanto materiais alógenos. O presente estudo está analisando e comparando as características histológicas do aloenxerto com a do auto-enxerto através da composição do tecido ósseo formado em humanos. Espera-se que este trabalho produza informações sobre a integração dos dois tipos de enxertos ósseos descritos, a fim de esclarecer a melhor escolha no planejamento da cirurgia de preenchimento ósseo.

Palavras-chave: Enxerto ósseo. Banco de osso humano.

voltar
Anais da MCC., Salvador, v.1, n.3, setembro. 2012, ISSN

Av. Dom João VI, 274 - Brotas - CEP: 40285-001
Salvador/Ba Tel: 2101-1900 Fax: 3356-1936
http://www.bahiana.edu.br