A MULHER GESTANTE E A AIDS: UMA REVISÃO DE LITERATURA BONFIM, NAILU; LISBOA, NATASHA; PORTELLA, SANDRA.

Autor(es): Nailú Jesus da Silva Bonfim; Natasha Alvares Carvalho Lisboa

Para as mulheres, a gravidez e a maternidade refletem expectativas sociais e culturais muito amplas que surgem no imaginário sociais, ligadas à saúde, felicidade, continuidade da vida, de sua família e da sua espécie. A decisão de ter ou não um filho é determinado pelo significado que a mulher atribui maternidade, levando em consideração as condições objetivas e subjetivas vividas em determinado momento de sua vida. Para as decisões das mães soropositivas, pesa ao se analisar os riscos e benefícios, as perdas e os ganhos, as dificuldades e as facilidades que deverá assumir ao decidir gerar uma criança. Desta forma, buscam a aceitação da sociedade, de modo a serem vistas como mães normais, procurando lidar com a situação de forma natural. A motivação para que essas mulheres, mesmo grávidas de forma inesperada, prossigam com a gestação é a utilização dos tratamentos anti-retrovirais, pois ser mãe de uma criança soronegativa significaria vencer a doença, e os riscos seriam minimizados; Este trabalho de revisão de literatura busca verificar o que as produções científicas brasileiras tem abordado sobre a mulher gestante e a sua relação com a AIDS - síndrome da imunodeficiência adquirida no Brasil. Conclui-se de que estes problemas ocorrem em todas as regiões brasileiras. Tomam, porém, dimensão preocupante nos segmentos populacionais desfavorecidos socialmente. As proporções de oportunidades perdidas do teste de HIV na gestação atingem valores alarmantes entre as mulheres com pouca instrução, residentes nas regiões menos desenvolvidas do País e municípios de pequeno porte populacional.

Palavras-chave: Palavras- chave- AIDS; Gestante e AIDS

voltar
Anais da MCC., Salvador, v.1, n.3, setembro. 2012, ISSN

Av. Dom João VI, 274 - Brotas - CEP: 40285-001
Salvador/Ba Tel: 2101-1900 Fax: 3356-1936
http://www.bahiana.edu.br