PREVALÊNCIA DA HALITOSE EM PACIENTES COM PERIODONTITE CRÔNICA

Autor(es): Ana Paula Fontoura

Estima-se que 90% da população apresenta alguma forma de doença periodontal e que a halitose ou mau hálito afeta mais de 50% da população. Apesar disso, não existe, até o presente momento, nenhum estudo publicado documentando a prevalência do mau odor oral em indivíduos portadores de doença periodontal, não obstante o impacto considerável na qualidade de vida que estas condições produzem. Embora diferentes causas e numerosos sítios não orais tenham sido sugeridos, estima-se que 80 a 90% dos casos de mau hálito se originam na boca. A halitose com etiologia oral pode resultar de doenças periodontais, decréscimo do fluxo salivar, restaurações dentárias inapropriadas, excessiva colonização microbiana da língua, ou próteses mal higienizadas. Dessa forma, o objetivo desta pesquisa é correlacionar a prevalência da halitose em pacientes com periodontite crônica. Serão selecionados 20 pacientes com periodontite crônica incluídos com os seguintes parâmetros clínicos: índice de placa, sangramento à sondagem, índice de sangramentos gengival, recessão gengival, profundidade de sondagem e nível de inserção clínica. Os níveis intra-orais de Compostos Sulfurados Voláteis serão medidos pelo monitor de sulfetos (Halímeter®). Espera-se que através desta pesquisa, seja estabelecida a prevalência da halitose em pacientes com periodontite crônica.

Palavras-chave: periodontite, halitose, saliva

voltar
Anais da MCC., Salvador, v.1, n.3, setembro. 2012, ISSN

Av. Dom João VI, 274 - Brotas - CEP: 40285-001
Salvador/Ba Tel: 2101-1900 Fax: 3356-1936
http://www.bahiana.edu.br