AVALIAÇÃO DA INFLUÊNCIA SISTÊMICA DA FOTOBIOMODULAÇÃO LASER DE 670 NM EM UM MODELO EXPERIMENTAL

Autor(es): Laís Gomes Spínola

Dados atuais da literatura têm demonstrado que o laser de baixa potência acelera o reparo de feridas cutâneas, porém há uma escassez de estudos científicos caracterizando as possíveis interferências sistêmicas da fotobiomodulação. Esta pesquisa teve por objetivo avaliar quantitativamente os níveis sanguíneos de corticosterona, potente glicocorticóide secretado pelas glândulas adrenais em resposta ao estresse, em ratos tratados com laser de baixa potência e controles normais. Foram utilizados 40 ratos machos da linhagem Wistar, aleatoriamente divididos em dois grupos de 20 ratos cada. Foi realizada uma ferida circular padronizada de 6mm de diâmetro no dorso dos ratos e estes foram mortos 1, 6 e 12 horas após a cirurgia cutânea. Constatada sedação profunda, os animais foram decapitados para coleta de sangue e remoção de uma porção de tecido cutâneo e muscular subcutâneo que foi criopreservada. Os níveis sanguíneos de corticosterona foram mensurados através da técnica de radioimunoensaio e as secções histológicas foram submetidas à técnica de ELISA para análise da expressão de citocinas no tecido. Observou-se que no período de 6 horas houve um aumento significativo da corticosterona e diminuição significativa dos níveis de IL-6 no tecido cicatricial (p<0,05). A expressão de TNF-alfa, IL-1 e IL-10 não foram estatisticamente significativas entre os grupos nos períodos estudados. Verificou-se o efeito biomodulador do laser no que diz respeito à corticosterona presente no sangue, após a realização do ferimento cutâneo padronizado.

Palavras-chave: corticosterona, laser, reparo

voltar
Anais da MCC., Salvador, v.1, n.3, setembro. 2012, ISSN

Av. Dom João VI, 274 - Brotas - CEP: 40285-001
Salvador/Ba Tel: 2101-1900 Fax: 3356-1936
http://www.bahiana.edu.br