INFLUÊNCIA DA MOBILIZAÇÃO NEURAL NA REGENERAÇÃO NERVOSA PERIFÉRICA

Autor(es): Êmyle Martins Lima; Bruno Teixeira Goes ; Joao Zugaib Cavalcanti ; Luciana Correa ; Abrahão Fontes Baptista

Os nervos periféricos estão sujeitos a diversos tipos de lesão decorrentes de causas inflamatórias, auto-imunes e provenientes de traumatismos ou eventos isquêmicos. Após uma lesão, o segmento proximal mantém continuidade com o corpo celular e apresenta atividade regenerativa. O coto distal à lesão sofre a chamada Degeneração Walleriana. Déficits no fluxo sanguíneo devidos a compressões e/ou estiramentos, podem gerar uma lentidão significante do fluxo axoplasmático e, consequentemente, alteração em sua capacidade regenerativa. O estiramento passivo, oscilado ou não, de determinados nervos periféricos têm sido descritas como Mobilização Neural (MN). Estas manobras são utilizadas na tentativa de restabelecer a neurodinâmica normal e sua influência parece ser através do estímulo ao retorno da circulação normal no nervo e o incentivo ao transporte axoplasmático. O objetivo do estudo é verificar a influência da mobilização neural na regeneração nervosa periférica; Metodologia: Estudo experimental em 30 ratos, Como modelo de lesão nervosa periférica será utilizado o esmagamento do nervo ciático, Os animais serão distribuídos aleatoriamente em 6 grupos. O tempo total do experimento será de 21 dias. Para a realização da mobilização neural, uma plataforma de acrílico será utilizada para posicionar o animal e realizar as manobras de deslizamento no nervo. Os resultados esperados a partir deste objetivo, é que aplicação da técnica de MN acelere o restabelecimento da neurodinâmica normal dos animais lesionados.

Palavras-chave: Nervo Ciático; Regeneração Nervosa; Compressão Nervosa;

voltar
Anais da MCC., Salvador, v.1, n.3, setembro. 2012, ISSN

Av. Dom João VI, 274 - Brotas - CEP: 40285-001
Salvador/Ba Tel: 2101-1900 Fax: 3356-1936
http://www.bahiana.edu.br