EFEITO DA EROSÃO ENDÓGENA SIMULADA SOBRE AS RESTAURAÇÕES ADESIVAS

Autor(es): Lara Hymer Galvão Oliveira; Larissa Guedes Andrade

A erosão dental é definida como perda progressiva e irreversível de tecido dental duro por processo químico não envolvendo ação bacteriana. OBJETIVO: avaliar in vitro o efeito da erosão dentária na resistência de união de 2 sistemas adesivos, simulando o efeito erosivo antes e após a confecção das restaurações adesivas. METODOLOGIA: Sessenta molares humanos tiveram as superfícies vestibulares e palatinas planificadas a fim de expor a dentina superficial; foram aleatoriamente divididos (6 grupos) de acordo com o momento de realização da erosão simulada [controle; erosão prévia e erosão posterior à restauração] e o tipo de agente de união utilizado [convencional e autocondicionante]. A simulação erosiva será feita através da imersão dos corpos de prova em uma solução de Ácido Clorídrico 1N + Água de Osmose Reversa (pH=1,7). Em cada grupo experimental, os corpos de prova foram preparados para o teste de microtração para registro da resistência de união. RESULTADOS: Os corpos-de-prova perdidos tiveram seus valores considerados como zero. Com a análise estatística, observou-se que independentemente do tipo de adesivo, houve diferença entre as condições experimentais (p=0,01), e os grupos submetidos à erosão antes da adesão apresentaram valores menores. A resistência de união dos sistemas adesivos foi estatisticamente diferente, sendo os maiores valores encontrados com o adesivo Single Bond 2, em todas as condições experimentais. CONCLUSÃO: O substrato dentinário modificado pela erosão simulada pode apresenta menor adesividade, tanto para agentes de união convencionais quanto para auto-condicionantes.

Palavras-chave: Erosão Dental, restaurações adesivas

voltar
Anais da MCC., Salvador, v.1, n.3, setembro. 2012, ISSN

Av. Dom João VI, 274 - Brotas - CEP: 40285-001
Salvador/Ba Tel: 2101-1900 Fax: 3356-1936
http://www.bahiana.edu.br