Influência dos Fios de Sutura Não Absorvíveis no Desenvolvimento da Halitose

Autor(es): Monise Alves Moura, Maria Emilia Santos Pereira Ramos e Fernando Bastos Pereira Junior

Introdução: A halitose no pós-operatório é uma condição conhecida e indesejável, que trás sérios inconvenientes na convivência entre os pacientes e as pessoas do seu convívio. Fazendo-se necessário estabelecer a real influência proporcionada pela composição do fio de sutura utilizado, com as possíveis alterações no hálito dos pacientes. Objetivo: O objetivo desse trabalho é comparar a influência da composição dos fios de sutura não absorvíveis no desenvolvimento ou exacerbação da halitose durante o pós-operatório odontológico. Metodologia: A amostra será constituída de 16 voluntários, divididos em dois grupos (Grupo 1: sutura com fio de seda; Grupo 2: sutura com fio de náilon) . A cirurgia será realizada baseada nas técnicas adotadas pela disciplina de Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo-Facial da Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública. A sutura adotada será dois pontos simples, utilizando os fios Seda 3-0, Nylon 4-0. Durante a pesquisa, será utilizado um halímetro para a detecção do grau de halitose no pré-operatório e pós-operatório imediato, 24, 48h e 7 dias após a cirurgia, quando será realizada a remoção da sutura, ocorrendo todas as mensurações nos mesmos horários Resultados/Resultados esperados: Espera-se através desse trabalho identificar a possível influência da composição dos fios de sutura na halitose presente no pós-operatório das exodontias dos primeiros molares inferiores, podendo, deste modo, recomendar fios de Náilon e/ou Seda para redução do odor fétido apresentado pelos pacientes, melhorando a convivência dos mesmos, neste momento, com parentes e amigos

Palavras-chave: fio de sutura.halitose.exodontia

voltar
Anais da MCC., Salvador, v.1, n.3, setembro. 2012, ISSN

Av. Dom João VI, 274 - Brotas - CEP: 40285-001
Salvador/Ba Tel: 2101-1900 Fax: 3356-1936
http://www.bahiana.edu.br