Perfil Epidemiológico das Doenças Glomerulares em um Hospital de Referência em Salvador-BA

Autor(es): Tássia Mendes Franco, Marilia Bahiense Oliveira e Washington Luis Conrado dos Santos

Introdução: Os estudos epidemiológicos são imprescindíveis na identificação de subgrupos com o mesmo tipo de lesão renal e são importantes instrumentos transversais na identificação precoce de glomerulopatias. Estima-se que, no país, as doenças glomerulares venham ocupando importante patamar dentro das nefropatias que levam à falência renal terminal de modo que traçar o perfil epidemiológico torna-se indispensável meio de identificar pacientes de risco e evitar progressão para tal quadro. Objetivo: Avaliar os diagnósticos de doenças glomerulares em um hospital de referência em Salvador- Bahia, de acordo com suas características histológicas e clínicas,entre janeiro de 2008 e dezembro de 2011. Metodologia: Trata-se de um estudo descritivo, transversal e retrospectivo de revisão de prontuários médicos, onde foram analisados todos os pacientes com biópsia de rins nativos no hospital de referência em nefropatias. Foram incluídos todos que tenham prontuários arquivados e material suficiente para o diagnóstico histológico, ou seja, 6 ou mais glomérulos na microscopia óptica e a presença de glomérulos para o estudo por imunofluorescência. Foram incluídos pacientes com 14 anos ou mais e excluídos transplantados renais. Naqueles nos quais foi necessária a re-biópsia, foi incluído apenas o resultado que fechou o diagnóstico do caso.A classificação histológica utilizada nos laudos anatomopatológicos foi a da Organização Mundial da Saúde (OMS),1995 e para Nefrite Lúpica a classificação da ISN/RPS,2003. Resultados/Resultados esperados: Das 201 biópsias coletadas, foram incluídas 171, pois em 22 houve material insuficiente e 9 prontuários não foram localizados.A média de idade foi de 31,6±12,2 anos,com predomínio do sexo feminino (53,6%). A nefrite lúpica, NL, foi o diagnóstico mais comum (31,5%), seguida do espectro Lesão Mínima/GESF (29,8%). Nas formas não lúpicas, a média de idade foi 34±15 anos, de creatinina 1,9±2,0mg/dl, albumina 2,7±1,9g/dl,PTU em 24h 5,0±4,0g/dia.A apresentação clínica mais comum foi síndrome nefrótica.

Palavras-chave: Estudo epidemiológico. Glomerulopatias. Nefrite Lúpica. Espectro Lesão Mínima/GESF . Glomeruloesclerose segmentar e focal

voltar
Anais da MCC., Salvador, v.1, n.3, setembro. 2012, ISSN

Av. Dom João VI, 274 - Brotas - CEP: 40285-001
Salvador/Ba Tel: 2101-1900 Fax: 3356-1936
http://www.bahiana.edu.br