Mortalidade por Causas Mal Definidas no Municipío de Salvador 2006 à 2010.

Autor(es): Rafaela Carvalho de Araújo, Caroline Tosta Rodrigues, Iasmine Eleutério da Silva, Ila Hanna da Silva Ramos

Introdução: Os óbitos por causas mal definidas correspondem ao capítulo XVIII do CID-10 Sintomas, sinais e achados anormais de exames clínicos e de laboratório não classificados em outra parte, que podem ser classificadas como as mortes súbitas de origem desconhecida, as mortes sem assistência, as mortes sem quaisquer outras especificações e as mortes relacionadas a afecções e sinais ou sintomas conhecidos como "mal definidos" (COSTA, 2008). Objetivo: Descrever as causas de mortalidade por causas mal definidas em Salvador no intervalo de tempo compreendido entre 2006 e 2010. Metodologia: A fonte de dados utilizada foi através do SIM-Sistema de Informação sobre Mortalidade, por meio do Departamento de Informática do SUS (DATASUS) que disponibiliza publicamente os dados secundários em meio eletrônicos e também os dados coletados das declarações de óbito de pessoas residentes no país. Para obter informações referentes à população de Salvador, a referência usada foi o site Departamento de Informática do SUS (DATASUS), as opções selecionadas foram informações de saúde, Demográficas e Socioeconômicas, população residente, Censos (1980, 1991, 2000 e 2010), Contagem (1996) e projeções intercensitárias (1981 a 2009), segundo faixa etária, sexo e situação de domicílio, selecionado o estado da Bahia, depois município Salvador, sendo utilizada a variável sexo. Resultados/Resultados esperados: É evidenciado que os idosos, pessoas de 50 anos a 80 anos e mais, concentraram a maior frequência nos óbitos por causa mal definidas ao longo de todo o período analisado, totalizando 2.927.40 óbitos.

Palavras-chave: Mortalidade, causas, mal definidas

voltar
Anais da MCC., Salvador, v.1, n.3, setembro. 2012, ISSN

Av. Dom João VI, 274 - Brotas - CEP: 40285-001
Salvador/Ba Tel: 2101-1900 Fax: 3356-1936
http://www.bahiana.edu.br