Lisossomos e o Defeito no Transporte do Aminoácido Cistina

Autor(es): Joselli Barbosa Santos, Laíse Santos Lobo, Milena Rodrigues Dias, Maria do Pilar Suarez

Introdução: Os lisossomos são organelas envoltas por membranas que contém uma variedade de enzimas capazes de digerir material intracelular obsoleto e extracelular. As enzimas lisossômicas ao hidrolisar as moléculas fornecem à célula o material necessário para a sua nutrição, bem como eliminam o material que a mesma não necessita utilizando-se de transportadores específicos presentes na membrana intracelular. Quando um desses transportadores falha por alguma razão ocorre várias alterações no lisossomo, dentre eles o Defeito no Depósito Lisossomal (DDL) Objetivo: Sistematizar o conhecimento acerca dos lisossomos enfocando o defeito no transporte do aminoácido cistina e suas consequências. Metodologia: Realizou-se uma revisão integrativa da literatura por meio de uma pesquisa e seleção de artigos científicos e livros específicos relacionados às alterações no transporte do aminoácido cistina.Para tanto foram utilizado durante a pesquisa os descritores:lisossomos,cistina, cistinúria, cistinose e transporte para consultar a base de dados eletrônica LILACS, bem como no acervo institucional. Foram incluídos materiais publicados no período de 2004 a 2008. Resultados/Resultados esperados: Constatou-se que a falha da Cistinosina no transporte da cistina, pode ocasionar patologias que se diferenciam pelo acúmulo e excreção excessiva desse aminoácido nas células do órgão afetado. Por se originarem no lisossomo, essas patologias demonstram a importância do bom funcionamento desta organela para a perfeita realização do metabolismo celular e, por conseguinte o bem estar físico do indivíduo.

Palavras-chave: lisossomos,cistina, cistinúria, cistinose e transporte

voltar
Anais da MCC., Salvador, v.1, n.3, setembro. 2012, ISSN

Av. Dom João VI, 274 - Brotas - CEP: 40285-001
Salvador/Ba Tel: 2101-1900 Fax: 3356-1936
http://www.bahiana.edu.br