Uma Aproximação da Luta Antimanicomial.

Autor(es): Gabriela Menezes Leda Rego, Luana Maria Mascarenhas Silva, Joana Anjos Bastos, Isis Barreto Barros, Marilda Castelar e Rafael Leite Fernandes

Introdução: A reforma psiquiátrica foi a consequência da luta dos trabalhadores em saúde mental por um tratamento mais digno e humano aos portadores de transtorno mental. Culminou com a aprovação da Lei 10.216, que dispõe sobre a proteção dos direitos das pessoas portadoras de transtornos mentais e redireciona o modelo assistencial em saúde mental. A Luta Antimanicomial faz parte dessa reforma, porém se direciona para a desospitalização dos pacientes, erguendo a bandeira 'por uma sociedade sem manicômios'. Objetivo: Discutir os temas que rodeiam a luta, buscando entender seu surgimento, desdobramento e importância. Visou-se portanto estudar tempo e espaço, especificidades, e sua relação com a Reforma Psiquiátrica Metodologia: O presente trabalho foi uma aproximação do movimento social da luta antimanicomial. Teve como base inicial, revisões bibliográficas acerca da evolução da saúde mental, das diversas questões que rodeiam a luta antimanicomial e a reforma psiquiátrica, assim como a inclusão social dos seus usuários. A partir dessas revisões, o trabalho desenvolveu-se através de entrevistas com usuários dos serviços de saúde mental e militantes da luta antimanicomial. As entrevistas foram filmadas e/ou gravadas, e depois transcritas para análise. O trabalho foi estruturado também através da participação, por parte dos estudantes, em eventos no contexto da saúde mental como o Ato Público, IV Parada do Orgulho Louco e visitas e entrevista ao AMEA. Resultados/Resultados esperados: Destacou-se a importância desse tema na formação em psicologia e outros campos da saúde, assim como na formação pessoal de todos os indivíduos que lidam de alguma forma com o mesmo. Através das entrevistas pode-se entender o sofrimento dos usuários ao lidarem com preconceitos e maus tratos e perceber como esse movimento emergiu e se mantém até hoje. Salienta-se que muito já se avançou em Salvador quando se fala dessa luta, mas ainda há um longo caminho de reconstruções a ser percorrido.

Palavras-chave: movimentos sociais.psicologia.luta antimanicomial.inclusão social.reforma psiquiátrica

voltar
Anais da MCC., Salvador, v.1, n.3, setembro. 2012, ISSN

Av. Dom João VI, 274 - Brotas - CEP: 40285-001
Salvador/Ba Tel: 2101-1900 Fax: 3356-1936
http://www.bahiana.edu.br