Notícias

MCC 2019: uma mistura de ciência, arte, filosofia e amor

XIX Mostra Científica e Cultural da Bahiana levou centenas de pessoas ao Campus Cabula.
21/10/2019


MCC 2019: uma mistura de ciência, arte, filosofia e amor

XIX Mostra Científica e Cultural da Bahiana levou centenas de pessoas ao Campus Cabula.

"Ciência, Filosofia, Amor e Arte: tudo junto e misturado". Este foi o tema da XIX Mostra Científica e Cultural da Bahiana que aconteceu nos dias 8 e 9 de outubro no Campus Cabula, quando foram realizadas dezenas de atividades científicas culturais e artísticas, envolvendo centenas de estudantes, professores, pesquisadores, representantes de organizações governamentais e não governamentais e da sociedade civil organizada. O primeiro dia compreendeu o IX Fórum de Pesquisadores da Bahiana e o primeiro momento da XVII Jornada de Iniciação Científica PIBIC, com a apresentação de trabalhos científicos e premiações. Por sua vez, a arte esteve ainda mais presente no segundo dia do evento cuja abertura contou com a apresentação "A Vida é uma Riqueza" do Grupo Sem Limites, ligados à Rede de Protagonistas em Ação de Itapagipe (REPROTAI). Participaram da abertura a coordenadora de Desenvolvimento de Pessoas, prof.ª Luiza Ribeiro, a pró-reitora de Extensão, Carolina Pedroza, e a assessora pedagógica do Programa Institucional de Desenvolvimento Docente (PROIDD), Lígia Marques Vilas Bôas, ambas coordenadoras gerais da MCC.
 
     

"A Bahiana prega uma formação com tudo junto e misturado. As hierarquizações aqui se diluem no papel cidadão de cada um. Então a Mostra Científica e Cultural reflete esse trabalho interdisciplinar alegre. É um momento de vitrine, de uma mensagem que a instituição lança para os professores, os colaboradores e alunos sobre o que somos e como vamos manter a missão de educar e formar profissionais de saúde realmente sensíveis ao outro, seja esse outro o paciente, o colaborador ou a pessoa da comunidade", declara Luiza Ribeiro.

Segundo Lígia Marques Vilas Bôas, a ideia do tema deste ano é pensar a integração: "Quando a gente separa esses elementos, é por uma questão didática, mas a nossa prática é atravessada por uma filosofia: ninguém é neutro, ninguém produz nada sem estar em uma posição, mesmo que não se reconheça, e o cientista é um ser político – ele faz ciência a serviço de alguma ideia. Ele está fazendo ciência para o amor? A ciência é uma arte? A ciência tem uma filosofia que ele respeita e acredita e é para a diversidade? Por isso é 'tudo junto e misturado' ".
 
     

Racismo, machismo, homofobia, violência urbana e desigualdades sociais foram alguns pontos de reflexão propostos na apresentação e, posteriormente, discutidos em um bate-papo envolvendo os jovens artistas e a plateia. Leandro Davanso (@kenai0114), integrante do Sem Limites, conta que conheceu a REPROTAI após deixar a casa dos pais, quando tinha apenas 16 anos, para seguir a carreira de artista. Segundo ele, foi na rede que pôde desenvolver seu talento artístico, e hoje, além de arte educador, é representante de políticas públicas, pelo projeto MJPOP (REPROTAI): "Hoje estamos desenvolvendo essa formação dos mais jovens, com arte e política, ensinando eles a pensar politicamente para que saibam onde é o seu lugar, e para que não esperem que outros façam por eles. E o lugar deles é em qualquer lugar onde eles sentirem vontade de estar, onde almejarem estar".

Para Carlos Santos da Luz (@mano_xandao_oficial), também integrante do Sem Limites, o grupo propõe vida: "Independentemente das situações adversas que nos acontecem e de tudo aquilo que nos oprime, a gente consegue transformar em poesia, música, dança e teatro. Esse universo da arte, da música e da própria cultura é o que nos dá subsídio para fazer com que outros também saiam de suas caixinhas. Temos que entender que cada pessoa é um universo, e nisso reside a ideia de que existem milhares de possibilidades de criar arte". Também participaram da apresentação os atores e bailarinos Noca Cruz (@sopodiaserpreta), Taciane Campos (@tacynhabreezy), Wadi Santana (@wadsonsantana) e Liliane Silva.

"Quando a gente pensa que a Bahiana já esgotou tudo que ela pode extrair da gente em termos de potencialidades, aprendizado, emoção e arte, ela nos surpreende. É muito bom estar nesse lugar e viver essa emoção com essas pessoas, porque, apesar de a gente discutir o tema, que foi trazido aqui, é diferente você viver isso que vivemos. Trazer a arte, a filosofia, a ciência... tudo junto e misturado e não ser pensado, mas sim sentido. É dessa forma que a gente apreende. É por isso que a gente tem orgulho de estar e de ser Bahiana", declarou a professora do curso de Enfermagem Cristane Magali.
 
     


PRA TOCAR
Também seguindo o conceito desta edição da MCC, foi lançado o clipe "Você é Cinco", fruto do projeto Pra Tocar, idealizado pelo colaborador do setor de Patrimônio da Bahiana Márcio Santos e realizado pela Gerência Estratégica de Pessoas e Aprendizagem Organizacional – GEPAP. Telma Bastos, gestora da GEPAP, explica que o projeto nasceu a partir de uma oficina realizada no último encontro anual de colaboradores cujo tema foi "Aprender e Ensinar". Na ocasião, foram promovidas oficinas pelos próprios colaboradores. "Sabendo que Márcio é percursionista profissional, convidamos ele a realizar uma oficina de percussão e, ao final do encontro, houve uma apresentação que agradou a todos os presentes. Isso motivou Márcio, que percebeu a oportunidade de realizar uma atividade que envolvesse também os PCDs mentais. Porém o Pra Tocar atraiu mais gente e hoje é aberto a qualquer colaborador e aluno". O grupo se reúne às quartas-feiras, à tarde, no Campus Brotas.
 
     

As atividades no auditório foram finalizadas com o tradicional sorteio de passagens áreas para trabalhos aprovados, destinadas à participação de alunos e/ou professores em eventos científicos fora do estado.
 


NOTÍCIAS RELACIONADAS | Leia também:
XVII Jornada de Iniciação Científica (PIBIC) é marcada pela interdisciplinaridade 
MCC também é Responsabilidade Social
PET Bahiana destacou-se na XIX MCC
Tendas na área verde integraram a programação da XIX MCC da Bahiana
Bahiana Verde é destaque na XIX MCC


Confira também:
Galeria de fotos do 1º dia da MCC
Galeria de fotos do 2º dia da MCC
Galeria de fotos do XIX Fórum de Pesquisadores da Bahiana

 

Campus Brotas

Av. Dom João VI, nº 275, Brotas.
CEP: 40290-000
tel.: (71) 3276 8200
fax.: (71) 3276 8202

Campus Cabula

Rua Silveira Martins, nº 3386, Cabula
CEP: 41150-000
tel.: (71) 3257 8200
fax.: (71) 3257 8230

Coordenadoria Geral

Av. Dom João VI, nº 274, Brotas.
CEP: 40285-001
tel.: (71) 2101 1900
fax.: (71) 3356 1936